08/10/2011

A Linhagem do Santo Graal


A verdadeira história do casamento de Maria Madalena e Jesus Cristo. 
A Linhagem do Santo Graal é um livro que descreve os mistérios da origem histórica e do ambiente de Jesus, para que sejam compreendidos os factos do seu casamento e sua paternidade. Laurence Gardner, o autor deste livro, é um genealogista de renome internacional, historiador constitucional que revela provas documentais a respeito do legado oculto de Cristo no Ocidente e novas evidências na descoberta do santo Graal. O autor é um Cavaleiro Templário de S. Anthony, membro da Sociedade dos Antiquários da Escócia e é conhecido na Europa como o Chevalier Labhran de Saint Germain e membro da presidência do Conselho Europeu dos Príncipes, um cargo institucional estabelecido em 1946, como Historiógrafo Real Jacobino.
A Linhagem do Santo Graal não se restringe a genealogias e histórias de intriga política. Contém a chave do Código do Graal essencial; a chave não somente de um mistério histórico, mas também de um modo de vida.


A História do Santo Graal
O mistério do Santo Graal é um dos símbolos mais antigos em todas as lendas cristãs e pagãs. mexe com os conceitos do poder divino, com as forças universais e com os próprios segredos da longevidade. a sua natureza misteriosa inspirou poetas, estudiosos, historiadores e ainda hoje constitui um desafio para quem deseja decifrar um dos maiores enigmas de todos os tempos.
Uma das histórias, a da última Ceia, Jesus encheu um recipiente de vinho e passou-o por todos os seus discípulos, dizendo-lhes que "bebessem o seu sangue". Quando Jesus transportava a cruz, José de Arimateia guardou religiosamente todo o sangue do salvador nesse mesmo recipiente. José foi obrigado a fugir de Jerusalém levando o simbólico cálice Num dos locais para onde fugiu José terá fundado um castelo e constituído  a sua família. Os seus descendentes foram nomeados guardiães do valioso cálice.

A Descendência Sagrada
Histórias contemporâneas narram que o enigma do Graal consiste na revelação da verdadeira identidade dos descendentes de Jesus e Maria Madalena. Esta, ao refugiar-se no reino dos Visigodos, deu origem à dinastia dos Merovíngios. Apesar de pouco se ter descoberto sobre eles até alguns anos atrás, sabe-se agora que os reis Merovíngios praticavam rituais de iniciação semelhantes aos que eram realizados pelos devotos do Nazareno, e também por outros elementos de seitas gnósticas. Estes eram considerados "reis santos" por seguirem as antigas tradições de Jesus para "servir, em vez de dominar".

Culto esotérico do princípio feminino da sabedoria
A religião dos Templários tinha como base um cristianismo gnóstico que foi divulgado por Maria Madalena e pelos seus discípulos no sul de França. Aos olhos das identidades do clero, os Templários praticavam um culto esotérico do princípio feminino de sabedoria divina. De acordo com esta convicção, cada homem e cada mulher é filho ou filha de Deus, e pode alcançar a iluminação espiritual sem necessidade de intermediários. Assim, todo o poder e responsabilidade mental de que o homem dispõe para transcender a sua natureza de dualidade, pode realizar os potenciais infinitos da natureza divina. Segundo os Templários, as doutrinas da Igreja católica dominaram os seus seguidores, transmitindo opressão e servidão sob as ordens de um deus vingativo. Houve uma grande perseguição por parte da Igreja católica contra o gnosticismo, ou seja, o conhecimento iluminado da divindade no Ego de cada ser humano.
Houve por parte da Igreja católica uma tentativa de ocultar o grande segredo da descendência de Jesus e Maria Madalena.

Símbolos tradicionais de divindade
Os Templários atribuíam grande importância a João Baptista, conhecido como o profeta Yehochanan entre os judeus e Yahia Younes entre os muçulmanos, o homem que conduziu Jesus ao conhecimento sagrado. De acordo com convicções islâmicas, João Baptista não foi decapitado e encontra-se sepultado em Marrocos.
O renascimento de Jesus pela santificação do espírito é simbolizado pelo seu baptismo e pela pomba, um símbolo Templário importante.Também veneraram João Evangelista, o discípulo amado de Jesus e o autor prolífico de vários trabalhos espirituais, na sua maioria perdidos ou destruídos pela igreja. Um deles foi "Actos dos Apóstolos"

O mistério tende a eternizar-se
Na sexta-feira 13 de Outubro de 1307, o rei Filipe mandou prender e controlar o círculo interno da Ordem dos Templários. Com acções de surpresa cuidadosamente preparadas, capturou a maioria dos Templários que residiam em França. Esse facto deu origem à superstição do desse "dia de azar" ... A acusação terrível de conceberem crimes odiosos, males desprezíveis, acções repugnantes, quase desumanas, o facto de terem causado a Cristo danos mais severos  do que os sofridos na cruz, foi decisiva para a demanda do Santo Graal: daí em diante, todo o adepto das teorias do sangreal e todas as organizações que têm algo a ver com a dinastia que descende possivelmente de Jesus e Madalena é excluída ou exterminada. e quando não é possível, os seus adeptos são obrigados a esconder-se sob a mortalha desse segredo rígido e impenetrável que dura até aos nosso dias. 
Até quando irá manter-se o segredo do Santo Graal?

Sem comentários:

Enviar um comentário